O que é o RankBrain e como influencia no posicionamento de sites no Google

Se você está inserido na indústria digital, com certeza já ouviu falar do RankBrain. Caso não, é hora de aprender tudo sobre ele. Isso porque esse sistema exclusivo do Google foi desenvolvido para melhorar os resultados de pesquisa no mecanismo e interpretar termos que não foram buscados anteriormente.

O Google é o mecanismo de pesquisa mais utilizado na internet e isso deve-se ao fato das constantes atualizações desenvolvidas pelo mesmo para aprimorar a experiência de cada usuário. Após o lançamento do RankBrain, que foi em 2015, ele se tornou o terceiro fator mais importante para o rankeamento de sites no motor de busca. 

Neste artigo vamos falar sobre o que é o RankBrain, como ele funciona e de que forma pode influenciar seu posicionamento no maior mecanismo de pesquisa do mundo. Confira as informações que separamos para você! 

O que é o RankBrain

Imagine a complexidade por trás da identificação dos resultados das bilhões de buscas feitas diariamente no Google. Diante de tantas respostas possíveis, como fazer tudo isso sozinho? É aí que entra o rankbrain, algoritmo baseado na conexão entre os neurônios e o cérebro humano

Provavelmente você já fez alguma pesquisa vaga (ou muito específica) no Google, como se ele fosse uma pessoa e pudesse te compreender. E é justamente pra isso que o RankBrain foi criado, para fazer um compilado de tudo que já foi buscado por outros usuários e “adivinhar” a solução do problema, como se fosse um humano.

O RankBrain faz parte de um algoritmo do Google chamado Hummingbird (vamos falar sobre ele daqui a pouco). Esse robô utiliza um sistema de inteligência artificial chamado Machine Learning (aprendizado de máquina), o qual permite a entrega do que é mais relevante para os termos buscados pelos internautas na caixa de pesquisa. 

Antes de explicarmos sobre o funcionamento do rankbrain, é preciso ter em mente de forma clara o que são machine learning e inteligência artificial. Os dois estão ligados, mas são coisas diferentes. 

A inteligência artificial (IA) é um campo da ciência da computação. Essa tecnologia consiste no desenvolvimento de tarefas por máquinas que, normalmente, seriam feitas por humanos. As capacidades dessa programação envolvem, por exemplo, o reconhecimento de fala, raciocínio, percepção de ambiente, tomada de decisão, etc. 

O machine learning já é uma forma de aplicação da IA, que aprende com si mesmo, por meio de programações. Esse campo digital realiza atividades sem que seja necessário auxílio humano e melhora a cada experiência, o que é feito com base nas anteriores.

Como funciona o RankBrain?

O RankBrain faz uma padronização nas pesquisas, ou seja, conecta a busca do usuário com os temas de interesse do mesmo para entregar os resultados. Para isso, ele considera elementos como localização, palavras-chave, contexto, assuntos correlacionados, entre outros.

Para ficar mais claro, vamos dar um exemplo. Veja o que acontece quando pesquisamos por “rankbrain” no Google: 

Além de o resultado da busca estar no formato de rich snippet, você percebe que o foco da página é explicar o que de fato é o rankbrain? Isso acontece porque o algoritmo do Google entende que o usuário quer aprender mais sobre a ferramenta e não contratar serviços de otimização do mesmo.

Quando são pesquisadas frases específicas, o algoritmo interpreta o significado completo e não as palavras individualmente. Observe o exemplo:

A informação é entregue sem que a palavra-chave (neste caso, cóccix) fosse utilizada na pesquisa. O rankbrain interpretou a busca e comparou com solicitações de outros usuários para oferecer o conteúdo mais relevante. 

Outra maneira de aprimorar a entrega dos resultados é feita a partir das pesquisas feitas pelos internautas, que ficam salvas no histórico de navegação. Para isso, ele também analisa o tempo que as pessoas passam na página. Se a análise for negativa, as soluções serão diferentes na próxima busca.

Hummingbird

O Rankbrain faz parte de um sistema enorme que se chama Hummingbird. É ele que determina as informações entregues ao usuário e a ordem dos resultados é baseada em fatores chamados de “sinais” (como o negrito utilizado nessa palavra). 

Em questão de milissegundos, o Google identifica os sinais mais relevantes para oferecer os melhores resultados aos internautas. Até onde sabemos, os fatores levados em conta para essa entrega são links externos e internos, seguidos de conteúdo e engajamento com o mesmo (tempo passado na página, saídas, etc), localização, autoridade e tópicos relacionados com o tema.

Apesar de o rankbrain assimilar pesquisas para aprimorar os resultados do Google, cada busca possui sua especificidade. Desta forma, os sinais podem variar conforme as pesquisas devido à relevância dos mesmos para as informações. Por exemplo:

O internauta que faz essa busca no Google quer se informar a respeito de shows que serão realizados em São Paulo nos próximos dias (e não os que já aconteceram). Além da localização, especificamente nessa busca, o algoritmo possivelmente considerou como relevantes os seguintes sinais:

  • Recência;
  • Engajamento com o conteúdo (é muito provável que o usuário tenha lido a descrição de cada evento);
  • Tópicos relacionados (os show que aparecerão no resultado são aqueles que estão “em alta” nas pesquisas de outros internautas).

Caso ainda não tenha ficado claro, pense da seguinte forma: o resultado da lista de shows que aconteceram em São Paulo no reveillón de 2021, por exemplo, não foram exibidos. O Google analisa o contexto e a intenção da busca para oferecer as soluções, o que é feito com o auxílio do Hummingbird, mais precisamente por meio do rankbrain. 

De que forma o rankbrain pode influenciar no posicionamento de sites no Google 

Foto: Unsplash

Os sinais utilizados pelo algoritmo do Google para rankear os melhores resultados são, na maioria das vezes, ligados ao conteúdo dos sites. O uso de palavras-chave, por exemplo, é um dos fatores mais importantes para se classificar entre as primeiras posições da página de respostas. 

A identificação do conteúdo pelo rankbrain é feita por, principalmente, pelo contexto em que os sites estão inseridos. Além das palavras-chave, a identificação dos resultados mais relevantes pode ser feita também por meio dos títulos das páginas ou do PageRank

O Rankbrain preza pela qualidade da experiência dos usuários e, consequentemente, de cada site acessado. Como você já sabe, ele utiliza buscas relacionadas para entregar os resultados de temas de long tail e eles podem não estar ligados especificamente com a palavra, mas sim com todo o assunto. 

Além de tudo isso, o rankbrain é capaz de identificar os sites que utilizam termos, mas não necessariamente falam sobre o assunto buscado pelos usuários, para tentar conseguir um bom posicionamento no Google. Desta forma, caso você queira rankear seu site, foque em entregar conteúdos que sejam de fato relevantes para os internautas. 

Para isso, separamos um tópico focado apenas em como atrair a atenção do rankbrain para o seu site e aprimorar o SEO do mesmo. Confira! 

Como otimizar um site para o rankbrain?

Foto: Unsplash

O rankbrain é atraído pelo conteúdo disponibilizado nos sites, mas seu principal objetivo é encontrar resultados para buscas que possuem falta de dados, justamente pelo fato de serem mais específicas. Apesar disso, é possível potencializar as técnicas de SEO do seu site e conseguir a atenção desse algoritmo. 

E como fazer isso?

Otimização do conteúdo

A maioria dos sites possuem páginas semelhantes para falar sobre a mesma coisa, mudando poucos detalhes. Ao invés de criar um texto apenas para “dicas para pauta radiojornalística”, por exemplo, por que não disponibilizar ao usuário um conteúdo que fale a respeito de redações em radiojornalismo em geral?

O rankbrain identifica que existem conexões entre as palavras semelhantes e, desta forma, pode entender que o texto é relevante para relacionar com os termos principais. Além de ser mais prático criar um conteúdo como esse, é melhor para o usuário encontrar todas as derivações do tema somente em uma página, dividida por tópicos.

Não utilize apenas sinônimos, faça uma aprimoração das palavras-chave, derivações e as que são relacionadas na sua página. Inclua nos textos também termos que aparecem no contexto de cada assunto. 

Invista na criação de conteúdos que realmente ofereçam algum valor para os usuários. Busque sanar todas as dúvidas a respeito de cada tema porque para atrair as conexões feitas pelo rankbrain, é necessário que o conteúdo seja amplo e profundo. Portanto, capriche no desenvolvimento de cada texto!

Diminua a taxa de Bounce Rate

Primeiramente, o que é isso? O Bounce Rate nada mais é que a taxa de rejeição de um site. Quanto menor for esse índice, melhor o posicionamento de páginas no Google. 

O tempo que um usuário permanece em sites é um fator muito relevante para o mecanismo de busca conseguir identificar a relevância dos conteúdos. Desta forma, invista em engajar os internautas com blogs, por exemplo. Essa é uma ótima maneira de atrair o público e aumentar a taxa de permanência na página. E, consequentemente, a atenção do rankbrain.

Melhore a CTR para o SEO

A Click Through Rate (CTR) é a taxa de cliques ou impressões de um site. E como melhorar esse aspecto para o Search Engine Optimization (SEO) do seu site? 

Existem várias formas de fazer isso. Uma das dicas é testar diferentes formas de visualização do seu site, alterando imagens, descrições, entre outros. Você também pode focar em aplicar o copywriting no texto, fortalecer a marca por meio do marketing de conteúdo e investir em anúncios pagos para aumentar as conversões (apesar de essa última dica não ser uma forma de desenvolver o tráfego orgânico).

Produza para pessoas, não máquinas

No caso do rankbrain, que é um algoritmo que atua por meio da inteligência artificial, é válido pensar dessa forma. Isso porque as máquinas aprendem a desenvolver suas atividades por meio do comportamento dos próprios humanos. 

Portanto, você deve focar em realmente oferecer um conteúdo relevante aos usuários. Desta forma, as experiências positivas farão com que os algoritmos voltem suas atenções ao seu site, como se fossem pessoas. 

O rankeamento do seu site, de uma maneira geral, depende de você. No entanto, no caso do rankbrain, é importante lembrar que ele se trata de um algoritmo que pode ser atualizado a qualquer momento pelo Google. 

Para conseguir bons resultados, com certeza o mais indicado é estar sempre comprometido com a oferta de conteúdos de qualidade. Com isso, você poderá atrair usuários ou clientes independentemente da atualização dos algoritmos do Google. 

Esperamos que você tenha entendido sobre o que é o rankbrain neste artigo. Agora é a hora de desenvolver as estratégias de rankeamento do seu site. Mão na massa!

Deixe aqui nos comentários o que você achou sobre o artigo 🙂 

O que é o RankBrain e como influencia no posicionamento de sites no Google
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments