Como funcionam os mecanismos de busca [Guia 2021]

Motores, mecanismos ou ferramentas de busca. Diferentes termos para denominar sistemas com o mesmo objetivo: entregar respostas para os nossos problemas (que estão dentro do Google, Yahoo! ou Bing). E como é possível que robôs possam apresentar tantos resultados em pouquíssimos segundos?

Dentro dos mecanismos de pesquisa estão todas as informações disponíveis na internet. Os algoritmos desses sistemas ficam a cargo de ordenar a exibição dos resultados, assim como classificar a relevância de cada um para a dúvida do usuário.

Para cada termo inserido na caixa de busca de uma ferramenta, milhares de páginas de resultados são associadas. No entanto, provavelmente o que você precisa está na primeira página do mecanismo. 

Isso acontece porque os motores de busca reúnem diversas informações a todo momento, justamente para proporcionar respostas aos usuários o mais rápido possível.  É como se os algoritmos fizessem uma “varredura” na web para estocar dados e entregar resultados em primeira mão.

Agora que falamos de forma resumida sobre os mecanismos de busca, é hora de imergir nesse assunto que tem enorme presença no nosso dia a dia. Vamos lá? 

O que são mecanismos de busca?

Você sabia que, atualmente, mais da metade da população mundial está conectada à internet? Para pesquisar qualquer coisa na web, os usuários recorrem às plataformas que citamos no começo do texto. E isso significa que bilhões de pessoas utilizam motores de busca para solucionar seus problemas. 

Afinal, o que são os mecanismos de busca? De uma maneira geral, são ferramentas que entregam resultados a partir de termos específicos: as palavras-chave. Esses sistemas reúnem textos, imagens, vídeos, áudios, documentos e diversas informações que correspondem às pesquisas dos usuários.

Para oferecer as melhores informações aos internautas, os motores de busca mapeiam a web constantemente. Os mecanismos de pesquisa utilizam rastreadores para encontrar conteúdos ou atualizações dos mesmos na internet, os quais são inseridos em uma base de dados para, futuramente, serem entregues em poucos segundos nas buscas. 

Conforme dúvidas surgem nas caixas de pesquisa das plataformas, diferentes opções aparecem como resultados. E não só isso, as informações consideradas mais relevantes para o usuário estarão no topo das respostas. 

Existem diversos fatores por trás da análise de qualidade e organização dos resultados. Os sistemas consideram não só as palavras-chave, mas também o conteúdo das páginas, a autoridade dos sites, idioma, local, entre outros.

Os conteúdos disponibilizados aos usuários são todos aqueles que estão disponíveis na web, exceto pelos que violam leis locais ou foram removidos devido às solicitações de proprietários de sites. Além disso, outro ponto levado à sério pelos mecanismos de busca é a privacidade de dados, que pode ser garantida por meio de configurações acessíveis e definidas pelos próprios internautas.

Como funcionam os mecanismos de busca?

Os mecanismos de pesquisa são compostos por “spiders” (também chamados de web crawlers ou bots), responsáveis por baixar e realizar a indexação de conteúdos disponíveis na internet. Esses robôs identificam informações e cadastram os links das páginas encontradas em um banco de dados, o qual é armazenado em diversos computadores. 

As páginas descobertas pelos crawlers têm seu conteúdo analisado e são indexadas nos motores de busca. Isso permite que as mesmas sejam referenciadas no banco de dados, além de serem localizadas pelos internautas. 

Os mecanismos organizam os links que estão espalhados na web em seus bancos e os apresentam conforme os termos inseridos nas caixas de pesquisa. Portanto, os resultados são aqueles indexados e considerados como mais relevantes para determinados problemas. 

E não é necessariamente tudo aquilo que está disponível na web que será apresentado aos usuários. Muitas páginas tentam aplicar golpes ou transparecer aos mecanismos que ofertam conteúdos relevantes, mas os algoritmos identificam aquelas que fazem isso e anulam suas exibições. 

Para listar os resultados mais importantes relacionados às buscas dos internautas, os robôs das plataformas recorrem aos bancos de dados, que funcionam como uma espécie de “biblioteca”. Os algoritmos calculam as melhores opções em milésimos de segundos, baseadas também na experiência do usuário

Classificação de resultados

Você já sabe que os crawlers consideram como fatores da classificação e listagem dos resultados das pesquisas os próprios termos consultados, relevância e usabilidade das páginas, assim como sua autoridade. No entanto, existem diferentes “pesos” para cada fator, o que depende da pesquisa. 

Quer entender melhor como funcionam esses fatores? Confira a seguir:

Consulta 

As plataformas, apesar de serem sistemas automatizados, buscam compreender o objetivo das consultas feitas pelos internautas. E para isso, possuem modelos que tentam decifrar a pesquisa.

Os critérios utilizados pelos algoritmos indicam, por exemplo, correções para possíveis erros de digitação e sinônimos. Termos desconexos também possuem sugestões, assim como palavras-chave que estão em alta direcionarão os usuários a páginas atualizadas ao invés de antigas.

Relevância 

Como você já sabe, os sistemas analisam os conteúdos na web para selecionar as informações relevantes às buscas. Isso pode ser feito simplesmente pela correspondência entre o conteúdo e as palavras-chave da pesquisa. 

Além das palavras-chave, os bots dos motores de busca consideram informações em diferentes formatos, como imagens e vídeos. Vale ressaltar que os sistemas são projetados para analisar conceitos concretos, excluindo questões subjetivas.

Qualidade 

Depois de identificar os conteúdos relevantes, a qualificação dos mesmos é feita por meio de sua utilidade. Os algoritmos identificam “sinais” e consideram como qualidade aquilo que vem de fontes que tenham autoridade no assunto e, consequentemente, confiáveis.

Isso é feito, por exemplo, por meio de links em sites relevantes. Como assim? Se você acabou de montar um blog sobre cuidados com animais de estimação, provavelmente quer ser indicado pela página mais famosa no segmento para atrair acessos.

Usabilidade 

Os crawlers também avaliam a usabilidade das informações. Esse termo quer dizer que diante de resultados semelhantes, conteúdos acessíveis serão destacados para os internautas.

Entre os aspectos de usabilidade considerados pelos algoritmos dos mecanismos de pesquisa está o mobile friendly, ou seja, a otimização de páginas para exibição em dispositivos móveis também. Assim como a velocidade de carregamento, fator determinante para a experiência do usuário em qualquer site.

Contexto 

Provavelmente você já parou para pensar como os motores de busca conseguem “adivinhar” sua busca, mesmo que ela tenha apenas uma ou duas palavras desordenadas. Esses sistemas fazem isso por meio do armazenamento de informações contidas, por exemplo, no histórico de pesquisas.

A atividade nas pesquisas também possui influência nos resultados, assim como interesses pessoais de cada usuário. Os mecanismos de pesquisa, em sua maioria, permitem que as preferências de otimização da experiência sejam ajustadas, assim como quais dados podem ser salvos no banco de dados desses sistemas.

[Curiosidade]

Apesar de parecer que os mecanismos de pesquisa fazem uma varredura por toda a web, existem conteúdos que ficam “escondidos” dos crawlers. Algumas páginas que possuem conteúdos impróprios ou fazem parte da dark e deep web, utilizam ferramentas para bloquear o acesso dos motores.

Essa blindagem pode ser associada, majoritariamente, a atividades criminosas. Sabemos que, infelizmente, a dark web é utilizada para transmitir informações desse cunho. Por outro lado, a deep web pode armazenar, por exemplo, dados de empresas com acesso apenas a clientes ou funcionários.

Desta forma, podemos compreender que os robôs das ferramentas de busca realizam a indexação de diversas páginas da web. No entanto, aquelas que não querem ser exibidas, ficarão no anonimato. 

Quais são os buscadores mais utilizados?

Bom, agora você já sabe o que são e como funcionam os mecanismos de busca. Então que tal conhecer os três motores mais utilizados pelos usuários? 

Veja a seguir:

Google

Apesar da obviedade, vale ressaltar: o Google é o mecanismo de pesquisa mais utilizado na internet. Dificilmente um internauta não o prefira, muito menos nunca tenha feito alguma busca no mesmo. 

De acordo com a empresa, todos os anos são feitas trilhões de pesquisas na plataforma. E para obter resultados positivos, não só estar no Google, como ter um bom posicionamento no mesmo é fundamental para as empresas.

Bing

Esse é o segundo mecanismo mais utilizado na web. O sistema é um produto da Microsoft, que possui como navegador padrão o Edge e o Bing como motor de busca. 

Diversas semelhanças com o Google são encontradas nesse mecanismo, mas alguns recursos disponibilizados aos usuários do motor são exclusivos, como conversão de moedas e rastreamento de voos. Também existe o Modo de Doação, que gera pontos a partir das pesquisas, os quais são convertidos e doados a organizações sem fins lucrativos.

Yahoo!

Além de ser um motor de busca, o Yahoo possui serviços de e-mail, notícias e jogos. Para os usuários do Mozilla Firefox, esse é o mecanismo padrão do navegador. 

Os resultados para solucionar os problemas dos internautas são os mesmos oferecidos pelo Google ou Bing. Portanto, aqueles que querem experimentar as funcionalidades das duas plataformas em um só lugar, podem recorrer ao Yahoo como buscador. 

Por que é importante entender como os mecanismos de pesquisa funcionam?

Compreender o conceito e funcionamento dos mecanismos de pesquisa é fundamental principalmente para pessoas que vendem serviços ou produtos, assim como profissionais do marketing digital. Estar por dentro das funcionalidades de cada sistema é também uma forma de aplicar estratégias para conseguir um bom posicionamento na web.

Você já sabe que as páginas são indexadas e exibidas aos usuários conforme sua relevância, mas como fazer com que elas estejam sempre nos resultados? Uma das maneiras de estar sempre no radar dos algoritmos é investir na constante atualização dos conteúdos, o que gera tráfego para os sites.

O tráfego orgânico é uma maneira de obter acessos à longo prazo e construir a autoridade de uma página. Caso você queira entender um pouco mais sobre o que é e sua importância, dê uma olhada nesse artigo do blog. 

Qualquer proprietário de site deseja conquistar visitas e estabelecer uma relação de confiança com os internautas. Entender o funcionamento dos motores de busca, conceitos como tráfego orgânico e algumas práticas de marketing digital é a base para obter bons resultados. 

Agora que você já sabe como funcionam os mecanismos de pesquisa, que tal usar essas informações a seu favor? Não perca tempo! 

Como funcionam os mecanismos de busca [Guia 2021]
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments